quinta-feira, 21 de dezembro de 2006

Ideias & Lazer

Jantares e almoços de Natal da empresa, jantares de Natal da família, jantares de Natal dos amigos, lanchezinhos e cházinhos metafóricos: tudo partes constituintes do hodierno espírito natalício.
Tudo é motivo para sair, beber e afins. E como o tempo livre prolifera, que melhor fazer do que ler?
Poderia escolher o livro da Sra. Carolina Salgado, intitulado “Eu, Carolina”. Não li o despejo verbal da Sra., é um facto, portanto abstenho-me de alguma observação mais profunda ao seu conteúdo. O livro relata pormenores da sua vida pessoal aquando no período que viveu com o Sr. Pinto da Costa. É caso para dizer “é disto que o povo gosta”. A dita Sra. bem que confidenciou em primeira mão ao Correio da Manhã que iria publicar um segundo livro com novas revelações, de forma mais aprofundada, contudo, ontem a própria editora, Dom Quixote, veio a desmentir publicamente a Sra.. Conquista por protagonismo, será?
A verdadeira e forte probabilidade poderá ser o novo livro do estimado humorista Nilton, “O Pai Natal Não Existe”. Como se pode entender é um livro de humor que conta histórias como a do homem que descobriu que o sentido da vida é para a esquerda; do super-héroi descontente com as condições de trabalho; do indivíduo que insistia em falar no seu próprio velório; do samaritano que nunca conseguiu ser bom (há muitos assim por aí); do homem que tem um talento especial para nada (novamente, outra situação muito frequente). Uma leitura fácil e de bom ânimo – pelo menos assim o espero.

terça-feira, 19 de dezembro de 2006

A Cartinha da Praxe

Querido Pai Natal,

No ano passado escrevi-te antecipadamente a pedir o Hugh Jackman como prenda de Natal. Este ano deixo para a última como típica portuguesa que sou – pode ser que tenha mais sorte!
Tenho-me portado como uma boa menina, sensata, ajuizada, criteriosa, que se porta bem e que até frequenta as aulas! E juro que não tenho abusado na língua afiada, no mau feitio, no vinho tinto e no moscatel (tirando o mês de Setembro, altura da Festa da Vindima)!

Não dou biqueiradas na gramática, pelo menos não tão fortes como as do Ministério da Educação, não uso o K para substituir o Q, não uso o “prontos”, não uso o X para salientar as palavraS … Em suma, tenho-me comportado particularmente bem.
Não peço muito, até sou bastante singela no meu pedido: um moreno simpático com uma personalidade única como o Johnny Deep, com o charme do Pierce Brosnan, o sorriso do George Clooney e com a inteligência do Miguel Sousa Tavares. E, já agora, que tal um bombeirinho para a minha amiga T? Seria uma mais valia para a menina, apagar o seu fogo interior.

Su.



P.S.: Não te esqueças mesmo do bombeirinho, caso contrário nós (as amigas do coração) teremos de recorrer a uma falácia e contratar um!

quinta-feira, 14 de dezembro de 2006

Portugal de lés-a-lés e não só!

Sabiam que...?
  • A Associação de Motociclismo de Peniche promove no próximo dia 17 de Dezembro, a partir das 15h00, o tradicional desfile natalício. Vestidos de Pai Natal, os ‘motards’ vão passear pelas ruas da cidade e oferecer centenas de presentes às crianças.
  • O Espaço Solidário de Sesimbra, no Mercado da Quinta do Conde, vai receber, a partir do dia 21 de Dezembro, donativos e bens para a população carenciada.
  • A autarquia promove, até dia 21 de Dezembro, uma campanha de angariação de brinquedos para as crianças dos Centros de Acolhimento Temporário do concelho.

  • Um orgasmo global pela paz mundial: A ideia é que, dia 22 de Dezembro, seja criada a maior onda de energia humana de sempre. Para tal, um elevado número de pessoas deverá ter relações sexuais, originando um orgasmo em simultâneo. Nessa altura, os pensamentos e toda a energia devem ser canalizados num único sentido: a paz mundial e o fim dos vários tipos de violência. «O orgasmo provoca um sentimento incrível de paz durante e depois dele», afirmou Paul Refell em declarações à imprensa estrangeira, acrescentando que o objectivo pretendido é transformar a energia sexual das pessoas em algo mais positivo. A proposta é feita online por Donna Sheehan, 76 anos, e Paul Reffell, 55 anos. Estes activistas são a favor de que o orgasmo global poderá ser a melhor maneira de ajudar a acabar com aquilo a que Paul Reffel considera não ser mais que o desejo do Homem de impressionar outro Homem, ou seja «o meu míssil é maior que o teu».


Algumas iniciativas que podem ser úteis para os demais, quidsapit! ;-)

quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

Oásis no Shopping

O espírito natalício tende a abraçar a nossa vida, seja de uma força consciente ou não.
O azevinho, o cheiro das lareiras nas frias noites que se fazem sentir, o riso das crianças, as camisolas de malha quentinhas... As lojas apinhadas de gente, putos irritantes que não sabem ouvir um não como resposta, pais histéricos que não sabem dar um não como resposta... Nos dias que correm, encontrar um lugar de estacionamento numa grande superfície é como encontrar um oásis no deserto. Não me levem erroneamente, eu adoro o Natal, a quadra festiva e a sua própria simbologia, toda a alma que o envolve; mas existem pequenos "senão" que me transcendem de uma forma completamente global. O espírito consumista tomou de assalto as vidas das pessoas, não dando margem de manobra para o que realmente importa, para o que realmente é vital. E, atrevo-me mesmo a perguntar, será que ainda sabem o que importa? Adiante...

O final do ano também traz as famosas listas e listinhas: prendas para os familiares e amigos próximos, prendas para aquela prima que só vemos duas vezes por ano, resoluções de Ano Novo, métodos de poupança para podermos ir às Bahamas durante o próximo ano sem recorremos aos não maravilhosos micro-créditos, etc., etc. ... Que sensação de satisfação efémera! Claro que tudo isto desvanece com o feríado de dia 1 de Janeiro e com a colossal dor de cabeça, para não dizer mesmo ressaca.


Feliz Natal a todos.





sábado, 9 de dezembro de 2006

O Prisma Feminino da Felicidade

Ora, nada melhor que começar um fim-de-semana prolongado com uma lucrativa ida às compras.
Sim, porque gaja que é gaja nunca tem malas, sapatos, carteiras, cintos, jeans, blusas, casacos suficientes (!!!): há-de faltar sempre qualquer coisa que nos irá causar uma demais sensação de insatisfação e transtorno!
Ora, também é verdade que é apreciável ter ao lado uma gaja bem apresentável, não um trambolho cujo conceito de moda é uma saia à casa na pradaria com uma blusa à Austin Powers. Portanto, meus caros, invistam e sentir-se-ão muito melhores e farão uma mulher feliz, por escassos momentos que sejam (o que posteriormente irá contribuir para a vossa própria melhoria de postura, pois uma ferroada de mulher enfurecida é como urticária: silenciosa mas chatinha).

sexta-feira, 8 de dezembro de 2006

Cocoon’R’Us

As defesas humanas são um forte aliado da solidão. Vivemos num casulo que se abre poucas vezes durante uma vida, e quando o fazemos, normalmente, é sempre com mau timing. Irrisório, mas dado adquirido.

Tenho sido recentemente acusada de ser uma criatura distante e fria, imperceptível às minhas emoções e sentimentos, mas enganam-se os demais; não sou uma pessoa de relações (entendam-se triviais, a curto prazo), é um facto, mas sou uma pessoa emotiva que vive para amar e, que gostaria, quem sabe um dia, ser amada. Nota: Não faço dessa situação uma demanda pessoal.
Sou afável, dócil e interessada, mas facilmente me retraio quando vejo a situação transformar-se adversamente. É curioso como pretendemos e ambicionamos algo e quando as coisas não correm como queremos, somos os primeiros a fugir para o nosso castelo de sonhos, fechando todas as portas e janelas, para que ninguém veja o que verdadeiramente se passa.

Confuso?
Enfim: é a mente humana a fervilhar.

quinta-feira, 7 de dezembro de 2006

Estímulos Natalícios

Uma vez que certo comentário moveu curiosidade em mim (o que se traduz em algo muito positivo), e poderia ter estimulado o meu instinto natalício, deixo aqui uma pequena nota a todos os que se julgam um Napoleão em cuecas: vivemos numa sociedade repleta de pessoas dissimuladas, onde os sentimentos são pontapeados como se de lixo se tratassem. Objectiva, clara, directa, dura? Tudo isso e muito mais.

Uma boa garrafa de vinho tinto, um maço de Davidoff e Ho-Ho-Ho.


Feliz Natal!

domingo, 3 de dezembro de 2006

O Napoleão que há em Nós

É um facto: todos nós temos um Napoleão a lutar desesperadamente por sair, por conquistar o que nos rodeia; temos um conquistador nato! -- do quê, abstenho-me.
Tema a propósito do livrinho, da Bíblia Sagrada dos Indiana Jones, mais conhecido por "Como Dominar o Mundo".

O seu objectivo é a dominação global absoluta?
- Tem o que é preciso para chegar ao topo?
- Sabe como lá chegar?
- E como lá permanecer?
- O que fazer com o poder, depois de o obter?
- Quando se sentir pronto a partir, deverá retirar-se com dignidade ou desaparecer numa explosão de glória?

Todas estas questões, entre outras, encontram resposta neste pequeno grande exemplar! Por uma módica quantia podem passar a ter o poder absoluto nas vossas mãos, ou uma pura perda de tempo!

Decisões, decisões..!