sábado, 25 de agosto de 2007

Knocking on Madness' Doors

Finalmente: fim-de-semana!
O cansaço psicológico aliou-se à exaustão física – que bela mixórdia de depauperação.
Sinto que necessito desesperadamente de Verão, um final de tarde numa praia, a desfrutar um belíssimo pôr-do-sol nos seus braços, mas nem consigo vislumbrar mentalmente tal remota situação.
E a chuvinha? Essa veio mesmo a calhar! E os relâmpagos às 5h e picos da manhã? Um mimo! Uns fofos de tão simpáticos que foram. Soberbos. Sublimes. Eloquentes.
Depois de uma análise introspectiva e atroz antevejo que o fim-de-semana não irá apaziguar com grandiosidade o meu abatimento. Talvez, quiçá, atiçar a minha irritabilidade!



segunda-feira, 13 de agosto de 2007

Relato do quotidiano: uma visão factual

É oficial: a boa vida chegou ao fim. Bem, salvo seja, é mais íntegro dizer: o ócio não remunerado.
A vida de mulher laboriosa é presentemente uma realidade. Mas não vou entrar em especificidades.
Na realidade, o highlight dos últimos tempos foi o perfeito fim-de-semana que o meu mais que tudo me presenteou. Um momento a dois – um mimo notável, hein? A melhor forma para terminar as férias em grande (bem tentada estive para escrever a célebre expressão “à grande e à francesa”, contudo a minha mente remete-me logo para outros canais menos próprios e relembro-me dos «2 contos» do filme “Balas e Bolinhos”!)
Enfim! Um fim-de-semana para recordar e, sem sobra de dúvidas, para repetir!




terça-feira, 7 de agosto de 2007

1 + 1 = 2

É tão fácil trivializar um sentimento e tão difícil descrevê-lo verdadeiramente.


E quando esse mesmo sentimento se resume somente a uma palavra?
Seria bem mais funcional, mais objectivo, mais conclusivo.


Não seria mais interessante dizer somente “Tu”?


quinta-feira, 2 de agosto de 2007

3 steps forward, 4 steps back

Questions to be answered are wondering around in my head.

I'm feeling motionless and I can't help it feeling this way – I wish I could change this awful state of mind, body and soul.

Time flies roughly but never returns – seems so undemanding and practical. I hate this pragmatic point of view that I developed within – tedious, eh?

A little less conversation a little more action please, said Elvis, and man! How he was right!
Well, when someone finds out how to proceed that way, please, do share with the rest! I’m totally up for it – really, no strings attached.