segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Quimera Noctívaga

Há dias em que me sinto com uma enormidade de amor para dar: hoje é um deles.
Contudo, sofro de um grande mal. Sou desastrosa a demonstrar e a expressar sentimentos. Aliás, sou horrível e desprezível. Sinto que nunca nada é suficiente nem algo que se pareça.
Sei que posso estar errada mas é-me difícil ver as coisas de forma diferente – para mal dos meus pecados. Tenho tanto e sinto ainda mais, e guardo-o cá dentro.
Quero trazê-lo cá para fora. Para ti.

domingo, 9 de setembro de 2007

Relax, Take it Easy...

... Já o Mika dizia na sua canção!
Pois bem, é o que mais preciso nesta altura do campeonato!
Castanheira de Pêra: um local óptimo para abrandar e relaxar.
Contudo, sinto-me derreada; pensar na semana que se segue, infelizmente, retrai todas as coisas boas que vivi durante os passados dois dias.
Curiosamente, ao chegar a casa e ligar a TV, deparo-me com a coincidência “Morangos vão a Castanheira” – admirável, hein!Morangos Attack!

P.S.: Obrigada ao Amor da minha vida por todas as surpresas com que me tem brindado: todas as pequenas palavras, actos, flores (adorei-as!) e por partilhar comigo a sua vida, no sentido literal.

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Ponto Sem Nó

Não há ponto sem nó, duas sem três, Deus escreve direito por linhas tortas, etc.
Expressões e ditos: prenúncios dum fado anunciado.
Há coisas caricatas que parecem extraídas de um filme: quando um dia começa mal, acaba pior ainda – e não há quem me convença do oposto.
Só tenho vontade de praguejar em plenos pulmões e esganar alguém com estas diminutas mas sãs mãozinhas.
Amanhã é outro dia e, como tal, um novo acordar com garra para triunfar. Bem, sejamos francos, é o que pretendo e tento fazer ver a mim mesma.

domingo, 2 de setembro de 2007

O Domingo

Um fim-de-semana deslocada do meu quotidiano, de tudo o que faz sentido para mim. É estranho e desconfortável.
És a razão do meu viver: Amo-te.