terça-feira, 20 de novembro de 2007

Destino: Confusão

Tenho adoptado um novo método de abordagem perante a minha deslocação diária trabalho/casa e vice-versa. Ao invés de andar sempre em passo de corrida como os demais, apercebi-me de algo maravilhoso: caminhar em passo de passeio nas manhãs caóticas alfacinhas. Regozijo-me pelo simples facto de chegar a horas ao emprego e, sobretudo, não me chatear com trivialidades do género "Oh meu Deus, vou perder o metro; Se empurrar mais um pouco consigo entrar; Oops, já levei com a porta", ou como diz o meu marido "urban sports".
De qualquer modo, não posso dizer que tais situações não enchem a vista e não animam o espectador. É sempre interessante observar o comportamento humano – por mais ridículo e irrisório que eventualmente possa ser.




"Welcome to the jungle."

domingo, 18 de novembro de 2007

F de Felicidade

Mais um dia, um mês, uma data a assinalar.
Um Domingo bem passado, uma fuga ao quotidiano.
Cumplicidade e planos a longo prazo.
Pequenos e resumidos relatos do que tem sido a minha vida durante os últimos tempos e, essencialmente, durante este excelente fim-de-semana que me fez recarregar baterias e ganhar novas forças para não baixar a cabeça perante as adversidades da vida.


“A Felicidade não depende do que nos falta, mas do bom uso que fazemos do que temos".


Thomas Hardy”


Sinto-me feliz.

terça-feira, 13 de novembro de 2007

P.S.

São os pequenos gestos que me concedes que me fazem sentir completa.

Sinto-me preenchida por um amor único e incomparável com tudo o que vivi até ao momento.

Rapidamente ultrapasso todo o mau humor que possa, eventualmente, atacar-me durante um daqueles dias rotineiros que nós tão bem conhecemos.

São esses pequenos gestos que tanto amo em ti e que tão bem me fazem.

Simplesmente, amo-te.

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Cházinho e Sopinhas

Estado da situação: Início de semana um pouco atribulado.

Conclusão: Quando algo corre mal, corre verdadeiramente mal.


Quanto mais procuramos menos se encontra e, por sua vez, quando não procuramos, cai em cima ou pisam-nos – salvo seja. E não é sempre assim?

Cházinho e sopinhas, quem me dera que fosse solução para tudo.
Estou em casa, temporariamente retida, por motivo de força maior. E, admito, é somente graças a situações do género que atribuímos o devido valor ao que temos e ao que outras pessoas, por sua vez, não têm. Todos damos por garantido a mobilidade física, mas quando a mesma falha, vislumbra-se algo terrífico, o caos instala-se.

Contudo, nem tudo são cardos. Ainda existem rosas no meio de tanta inferneira.
Sempre se apregoa “estarei sempre contigo, para os bons e maus momentos” mas são nesses mesmos maus momentos, que muito boa gente foge com a mão à palmatória. Felizmente, considero-me uma felizarda e sou a primeira a dizê-lo ao Mundo. Depois da tempestade, vem a bonança, e é por ela que espero, impávida e serena, tal como espero por ti.


quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Resumo

Há dias e dias, e o dia de hoje é certamente um dos que não tombará na penumbra do esquecimento com tanta facilidade quanto isso.

É só um pequeno reparo que não consegui evitar!





You & Me.