quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Kiss Kiss!!



Cada vez mais me fascinam os transportes públicos portugueses, para não mencionar o grande à vontade dos demais que o usam no dia-a-dia.
Anda nos teatros portugueses a famosa e aclamada peça de teatro "As Vampiras Lésbicas de Sodoma", pois bem, hoje fui presenteada com o remake português "As Dreads Lésbicas do Metropolitano".
Falam e reclamam da falta de decoro e excessos de afectos públicos dos namoradinhos, pois bem, eu gostaria de ver as reacções e posteriores exclamações após vislumbrarem a cena que eu presenciei esta mesma tarde. Um promissor e jovem casal de meninas adolescentes (nome correcto «crianças» - seres inferiores a 18 anos de idade) a expor o seu amor para o resto do mundo, entenda-se de forma bem entusiasta. Claro que se tivesse sido um casal dito "normal", ninguém teria ligado a miníma à situação... Mas é a tal coisa, quando é algo diferente do quotidiano, algo que capta a atenção com a mais pura das facilidades, voilá, c'est ça!
Viva o amor e as declarações amorosas para o mundo, independentemente da orientação sexual de cada um de vós! Ou talvez não! Bla-bla-bla!!!

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Ouro


Nem sempre são as grandes riquezas que nos trazem uma felicidade pura. Naturalmente que ajudam e, também, condicionam, no entanto, não é grande motivadora para o mesmo.
Cheguei a desacreditar total e completamente no amor e em todos os sentimentos, que se geram em redor do mesmo, até tu teres aparecido de rompante na minha vida e transformares a minha perspectiva as coisas, de mim.
Para mim, estás a revelar-te ser a maior das riquezas que até hoje alcancei na minha vida. Fico grata por tal benção.
Moldaste-me na pessoa que fui outrora e que tinha perdido rasto. Enches o meu espírito com um novo alento, com uma nova esperança de que tudo há-de correr bem de agora em diante.
Nem tudo o que reluz é ouro, bem, no meu caso não é mesmo, és somente tu.

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Pensamento do Dia




"Há pessoas tão aborrecidas que nos fazem perder um dia inteiro em cinco minutos."

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

O Beijo


O beijo: como descrevê-lo?
Efectivamente, não o sei fazer.
Sei senti-lo. Sei ser possuída por ele.
Adoro a forma como percorre o meu rosto, como arrepia o meu pescoço, como acarícia as minhas mãos, como delicia os meus braços.
Adoro o seu toque terno que me faz sentir como a mulher mais amada à face da Terra.
Adoro a sua leveza mágica e calma e os seus ataques súbitos de fúria capazes de me deixar sem fôlego.
Adoro quando se aproxima disfarçadamente e se revela em algo ardente e desejado.
Adoro a sua doçura quando a suavidade dos lábios me aquece a alma e me derrete o coração.
Adoro a ternura dos movimentos, as carícias na nuca e na face.
Adoro os beijos que parecem querer morder suavemente os meus lábios.
É o que sinto, quando me beijas.

domingo, 13 de janeiro de 2008

A Noite II

Vamos supôr que a existência humana de cada indíviduo é como uma paleta de cores... O que devemos deduzir quando vislumbramos a vida através dum tom cinzento? Quando sentimos que vemos a nossa própria vida através duma lente a preto & branco, como se de um filme de baixo orçamento se tratasse, não sendo nós próprios o realizador mas somente um mero espectador, impávido perante toda a atrocidade demonstrada.
Decerto que todos nós, a certa altura da nossa vida, já nos sentimos como esse espectador anónimo, que fica sentado no fundo da sala de cinema, silencioso e solitário, observando apaticamente à exibição.
Existem certos e determinados acontecimentos na nossa vida que não conseguimos controlar, que nos transcendem em toda a sua grandiosidade e importância demais. Ultimamente sinto-me como esse espectador, impávida e incapaz de demonstrar os meus verdadeiros sentimentos, que me consomem a cada segundo com mais intensidade e dor. Gostava de poder expressar sem problemas o turbilhão de emoções que tenho dentro de mim mas, infelizmente, nem eu mesma quero aceitar ou, meramente, acreditar.
O que devemos pensar ou fazer quando tal comboio de ideias recriminatórias nos embate com todo o seu vigor? Uma vez chegada a este patamar sinto que pouco ou até mesmo nada posso fazer, nem mesmo revelar as minhas demais preocupações e angústias. As lágrimas, essas que um dia me reconfortaram, delineam o meu rosto sem me dar um sopro de esperança. Sinto, somente sinto.

A Noite




Esta noite sonhei.
Algo angustiante que me perseguiu de forma intensa, algo que abalou toda a minha serenidade.
Sinto-me amedrontada.
De facto são coisas que poderão ser consideradas triviais por muitos, contudo não consigo deixá-las passar ao lado, impunes a um pensamento mais sério e crítico.
Mas mesmo após esta brevíssima reflexão, deparo-me com uma nova questão: porque será que todos os sonhos com características mais negativas, os nomeados pesadelos, são deveras realistas e tocam profundamente nos mais intímos medos de cada um de nós?

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Revolta das 12h00

Ando a ficar desmoralizada.
Chegaram ao ponto de me dizer que tenho um curriculum muito diversificado e enriquecido, logo tantas e mais qualidades não são indicadas para a posição em causa. Pergunto-me o que é que as pessoas querem: pessoas que lutam pelo que querem, de forma comedida sem atropelamentos, conscientes, versáteis, possuídores do "saber estar" ou empregados sem educação e qualidade, que não se atirem aos desafios, os tipícos mémés do rebanho.
Sinto-me revoltada, claro que sim.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

New Year



Ano novo, vida nova - é o que se apregoa!
Pois bem, de certo modo até se pode aplicar esse dito, contudo com um pequeno ajuste: ano novo, casa nova!

Pois é, pois é... O meu mais que tudo e eu decidimos juntar os trapinhos e voilá, vamos viver juntinhos. Já faz algum tempo que andamos na azafama das compras e comprinhas de móveis, sofás e tudo mais, e, mais recentemente, na das limpezas e posterior arrumação. É cansativo, sem dúvida, mas deveras reconfortante, ver tudo a tomar o seu devido lugar, a ganhar vida.
As minhas novidades são poucas, entenda-se que não abrangem muitos outros campos, pois esta só por si dá mais que fazer!

Votos de um excelente 2008 para todos.