quinta-feira, 21 de dezembro de 2006

Ideias & Lazer

Jantares e almoços de Natal da empresa, jantares de Natal da família, jantares de Natal dos amigos, lanchezinhos e cházinhos metafóricos: tudo partes constituintes do hodierno espírito natalício.
Tudo é motivo para sair, beber e afins. E como o tempo livre prolifera, que melhor fazer do que ler?
Poderia escolher o livro da Sra. Carolina Salgado, intitulado “Eu, Carolina”. Não li o despejo verbal da Sra., é um facto, portanto abstenho-me de alguma observação mais profunda ao seu conteúdo. O livro relata pormenores da sua vida pessoal aquando no período que viveu com o Sr. Pinto da Costa. É caso para dizer “é disto que o povo gosta”. A dita Sra. bem que confidenciou em primeira mão ao Correio da Manhã que iria publicar um segundo livro com novas revelações, de forma mais aprofundada, contudo, ontem a própria editora, Dom Quixote, veio a desmentir publicamente a Sra.. Conquista por protagonismo, será?
A verdadeira e forte probabilidade poderá ser o novo livro do estimado humorista Nilton, “O Pai Natal Não Existe”. Como se pode entender é um livro de humor que conta histórias como a do homem que descobriu que o sentido da vida é para a esquerda; do super-héroi descontente com as condições de trabalho; do indivíduo que insistia em falar no seu próprio velório; do samaritano que nunca conseguiu ser bom (há muitos assim por aí); do homem que tem um talento especial para nada (novamente, outra situação muito frequente). Uma leitura fácil e de bom ânimo – pelo menos assim o espero.

terça-feira, 19 de dezembro de 2006

A Cartinha da Praxe

Querido Pai Natal,

No ano passado escrevi-te antecipadamente a pedir o Hugh Jackman como prenda de Natal. Este ano deixo para a última como típica portuguesa que sou – pode ser que tenha mais sorte!
Tenho-me portado como uma boa menina, sensata, ajuizada, criteriosa, que se porta bem e que até frequenta as aulas! E juro que não tenho abusado na língua afiada, no mau feitio, no vinho tinto e no moscatel (tirando o mês de Setembro, altura da Festa da Vindima)!

Não dou biqueiradas na gramática, pelo menos não tão fortes como as do Ministério da Educação, não uso o K para substituir o Q, não uso o “prontos”, não uso o X para salientar as palavraS … Em suma, tenho-me comportado particularmente bem.
Não peço muito, até sou bastante singela no meu pedido: um moreno simpático com uma personalidade única como o Johnny Deep, com o charme do Pierce Brosnan, o sorriso do George Clooney e com a inteligência do Miguel Sousa Tavares. E, já agora, que tal um bombeirinho para a minha amiga T? Seria uma mais valia para a menina, apagar o seu fogo interior.

Su.



P.S.: Não te esqueças mesmo do bombeirinho, caso contrário nós (as amigas do coração) teremos de recorrer a uma falácia e contratar um!

quinta-feira, 14 de dezembro de 2006

Portugal de lés-a-lés e não só!

Sabiam que...?
  • A Associação de Motociclismo de Peniche promove no próximo dia 17 de Dezembro, a partir das 15h00, o tradicional desfile natalício. Vestidos de Pai Natal, os ‘motards’ vão passear pelas ruas da cidade e oferecer centenas de presentes às crianças.
  • O Espaço Solidário de Sesimbra, no Mercado da Quinta do Conde, vai receber, a partir do dia 21 de Dezembro, donativos e bens para a população carenciada.
  • A autarquia promove, até dia 21 de Dezembro, uma campanha de angariação de brinquedos para as crianças dos Centros de Acolhimento Temporário do concelho.

  • Um orgasmo global pela paz mundial: A ideia é que, dia 22 de Dezembro, seja criada a maior onda de energia humana de sempre. Para tal, um elevado número de pessoas deverá ter relações sexuais, originando um orgasmo em simultâneo. Nessa altura, os pensamentos e toda a energia devem ser canalizados num único sentido: a paz mundial e o fim dos vários tipos de violência. «O orgasmo provoca um sentimento incrível de paz durante e depois dele», afirmou Paul Refell em declarações à imprensa estrangeira, acrescentando que o objectivo pretendido é transformar a energia sexual das pessoas em algo mais positivo. A proposta é feita online por Donna Sheehan, 76 anos, e Paul Reffell, 55 anos. Estes activistas são a favor de que o orgasmo global poderá ser a melhor maneira de ajudar a acabar com aquilo a que Paul Reffel considera não ser mais que o desejo do Homem de impressionar outro Homem, ou seja «o meu míssil é maior que o teu».


Algumas iniciativas que podem ser úteis para os demais, quidsapit! ;-)

quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

Oásis no Shopping

O espírito natalício tende a abraçar a nossa vida, seja de uma força consciente ou não.
O azevinho, o cheiro das lareiras nas frias noites que se fazem sentir, o riso das crianças, as camisolas de malha quentinhas... As lojas apinhadas de gente, putos irritantes que não sabem ouvir um não como resposta, pais histéricos que não sabem dar um não como resposta... Nos dias que correm, encontrar um lugar de estacionamento numa grande superfície é como encontrar um oásis no deserto. Não me levem erroneamente, eu adoro o Natal, a quadra festiva e a sua própria simbologia, toda a alma que o envolve; mas existem pequenos "senão" que me transcendem de uma forma completamente global. O espírito consumista tomou de assalto as vidas das pessoas, não dando margem de manobra para o que realmente importa, para o que realmente é vital. E, atrevo-me mesmo a perguntar, será que ainda sabem o que importa? Adiante...

O final do ano também traz as famosas listas e listinhas: prendas para os familiares e amigos próximos, prendas para aquela prima que só vemos duas vezes por ano, resoluções de Ano Novo, métodos de poupança para podermos ir às Bahamas durante o próximo ano sem recorremos aos não maravilhosos micro-créditos, etc., etc. ... Que sensação de satisfação efémera! Claro que tudo isto desvanece com o feríado de dia 1 de Janeiro e com a colossal dor de cabeça, para não dizer mesmo ressaca.


Feliz Natal a todos.





sábado, 9 de dezembro de 2006

O Prisma Feminino da Felicidade

Ora, nada melhor que começar um fim-de-semana prolongado com uma lucrativa ida às compras.
Sim, porque gaja que é gaja nunca tem malas, sapatos, carteiras, cintos, jeans, blusas, casacos suficientes (!!!): há-de faltar sempre qualquer coisa que nos irá causar uma demais sensação de insatisfação e transtorno!
Ora, também é verdade que é apreciável ter ao lado uma gaja bem apresentável, não um trambolho cujo conceito de moda é uma saia à casa na pradaria com uma blusa à Austin Powers. Portanto, meus caros, invistam e sentir-se-ão muito melhores e farão uma mulher feliz, por escassos momentos que sejam (o que posteriormente irá contribuir para a vossa própria melhoria de postura, pois uma ferroada de mulher enfurecida é como urticária: silenciosa mas chatinha).

sexta-feira, 8 de dezembro de 2006

Cocoon’R’Us

As defesas humanas são um forte aliado da solidão. Vivemos num casulo que se abre poucas vezes durante uma vida, e quando o fazemos, normalmente, é sempre com mau timing. Irrisório, mas dado adquirido.

Tenho sido recentemente acusada de ser uma criatura distante e fria, imperceptível às minhas emoções e sentimentos, mas enganam-se os demais; não sou uma pessoa de relações (entendam-se triviais, a curto prazo), é um facto, mas sou uma pessoa emotiva que vive para amar e, que gostaria, quem sabe um dia, ser amada. Nota: Não faço dessa situação uma demanda pessoal.
Sou afável, dócil e interessada, mas facilmente me retraio quando vejo a situação transformar-se adversamente. É curioso como pretendemos e ambicionamos algo e quando as coisas não correm como queremos, somos os primeiros a fugir para o nosso castelo de sonhos, fechando todas as portas e janelas, para que ninguém veja o que verdadeiramente se passa.

Confuso?
Enfim: é a mente humana a fervilhar.

quinta-feira, 7 de dezembro de 2006

Estímulos Natalícios

Uma vez que certo comentário moveu curiosidade em mim (o que se traduz em algo muito positivo), e poderia ter estimulado o meu instinto natalício, deixo aqui uma pequena nota a todos os que se julgam um Napoleão em cuecas: vivemos numa sociedade repleta de pessoas dissimuladas, onde os sentimentos são pontapeados como se de lixo se tratassem. Objectiva, clara, directa, dura? Tudo isso e muito mais.

Uma boa garrafa de vinho tinto, um maço de Davidoff e Ho-Ho-Ho.


Feliz Natal!

domingo, 3 de dezembro de 2006

O Napoleão que há em Nós

É um facto: todos nós temos um Napoleão a lutar desesperadamente por sair, por conquistar o que nos rodeia; temos um conquistador nato! -- do quê, abstenho-me.
Tema a propósito do livrinho, da Bíblia Sagrada dos Indiana Jones, mais conhecido por "Como Dominar o Mundo".

O seu objectivo é a dominação global absoluta?
- Tem o que é preciso para chegar ao topo?
- Sabe como lá chegar?
- E como lá permanecer?
- O que fazer com o poder, depois de o obter?
- Quando se sentir pronto a partir, deverá retirar-se com dignidade ou desaparecer numa explosão de glória?

Todas estas questões, entre outras, encontram resposta neste pequeno grande exemplar! Por uma módica quantia podem passar a ter o poder absoluto nas vossas mãos, ou uma pura perda de tempo!

Decisões, decisões..!

sexta-feira, 10 de novembro de 2006

Elevando a inconformidade.

Ando inconformada, é um facto.

Mensalmente, a vergonhosa soma que pago à minha faculdade é cada vez mais mal empregue.

Uma excelente pintura a amarelo-torrado para diferenciar uma porta e a reestruturação de um WC para pessoas com deficiências físicas. Esta última parece-me muito lógica, até porque tais estruturas são impreteríveis por Lei. O cómico (aligeirando…) da situação é o simples facto de terem investido na reestruturação das instalações mas negligenciando o acesso para as mesmas. Ora, passo a citar, para que servirá tal investimento se para se chegar ao mesmo há que “escalar” uma série de escadarias de mármore? É irrisório, não?


terça-feira, 7 de novembro de 2006

O Metro & Rebéubéubéu-Pardais-Ao-Ninho

Há muito tempo que não divagava mentalmente!
E que saudades tinha…
O assunto do dia de hoje é, sem dúvida, a greve do Metropolitano de Lisboa. (Claro está, sendo eu possuidora duma mentalidade avassaladoramente complexa irei remeter-me para outro ponto que focarei posteriormente.)
É a segunda greve realizada num espaço de uma semana e, preparem-se, pois não há duas sem três. A próxima será já na Quinta-feira, dia 09 do corrente mês. Mas será que há terceira é de vez?! Não creio!...
Vivendo francamente longe do meu destino do quotidiano tomei a decisão de ficar por casa e dar uso do tempo a tarefas inevitáveis. Os “fabulásticos” instintos capitalistas. As grandes superfícies encontram-se minadas pelas pérfidas decorações natalícias e os demais brinquedos que se amontoam nas prateleiras. “Ó tempo, volta para trás”, já nada é o que era. Onde está o cheirinho ao verdadeiro sentido do Natal? O império capitalista tomou de assalto as mentes das pessoas e tornou-se numa verdadeira movimentação de massas… É uma tristeza que tal suceda mas é a realidade em que vivemos.
Agora só espero uma coisa: que os senhores do Metropolitano de Lisboa não façam muitas mais greves pois não quero deparar-me conscientemente com mais situações ambíguas que façam o meu cérebro fervilhar desta forma!

domingo, 2 de julho de 2006

Prato do dia: Bife à Portuga.





Foram quase três horas de puro sofrimento agarrada ao projector e ao cachecol tipíco da Selecção. Mas valeu a pena!
E motivou-me, em parte, para ir receber o Sr. Ricardo na sua nova moradia, afinal sempre posso dizer que me orgulho dos vizinhos, por mais poucos que possam ser.

Mas o triunfo tem um sabor especial para a formação portuguesa, uma vez que alcançou um feito histórico, visto que não chegava às meias finais do Campeonato do Mundo há 40 anos. Que aproveitem bem essa dávida, visto que tais acontecimentos são poucos e raros, pois pelo andar da carruagem só deverão ter uma oportunidade idêntica dentro de 40 anos! :P

quarta-feira, 24 de maio de 2006

Lixo ou Arte?

É verdade que os olhos só vêem aquilo que querem e, portanto, o que vêem vocês?

quinta-feira, 27 de abril de 2006

A língua portuguesa

Recebi o seguinte e-mail, o qual vou ter de partilhar!
As maravilhas da língua portuguesa, ou talvez não.


"Se o Mário Mata, a Florbela Espanca, o Jaime Gama e o Jorge Palma, o que é que a Rosa Lobato Faria?

E, já agora: Talvez a Zita Seabra para o António Peres Metello..."

sábado, 15 de abril de 2006

Pensamento do dia

Aquilo que não nos pertence é o que nos completa.

quarta-feira, 5 de abril de 2006

A Guerra dos CV's: A Saga Continua.

Bem, mais uns dias de luta em prole da procura de um emprego.
Cheguei à refulgente conclusão que trabalhar (em função de terceiros) não me irá fazer assim tanto mal quanto isso... Os trabalhos como freelancer não pagam o pão-nosso de cada dia e a propensão para a acumulação de dívidas é cada vez maior!
Ora, vamos lá ver.
Primeiro passo: dar uma olhadela ao mercado e às propostas que o mesmo apresenta. Nada animador.
Segundo passo (após uma injecção de cafeína e nicotina): reelaborar o curriculum vitae.
Terceiro passo: mais uma olhadela, desta vez menos critica pois as habilitações académicas/profissionais inseridas no CV não são em muito animadoras, pelo menos na óptica do utilizador.
Ora, após estes singelos passos o que mais há a fazer?
Esperar e desesperar.
E assim o farei.

terça-feira, 4 de abril de 2006

Ócio: modalidade a tempo inteiro.

Férias: quem não gosta delas que objecte.
Bem, mas para quem pode, também existem as pré-férias e eu estou a gozar plenamente das mesmas.
Quatro semanas infernais sem horários e sem obrigações, sem nada de produtivo para fazer (esta será com certeza a perspectiva dos demais leigos: no fundo do meu ser sinto-me obrigada a ver os fundos dumas garrafas com alguma frequência).
Planos? Nenhuns. Sou adepta da modalidade "Agora & Já". Contudo, algumas ideias começam a delinear-se no horizonte, quem sabe! Mas vale tudo, é o que dizem, para apaziguar a monotomia que se fez sentir na minha vida nos passados tempos.

B'jitos e tal!

sábado, 25 de março de 2006

Um lapso de sensatez

Acho que pela primeira vez vou escrever de forma tranquila e sensata, sem um toque de ironia ou sarcasmo em mim.
A minha vida anda de pantanas, completamente de pernas para o ar. Nada é o que era, nem sei se alguma vez o foi.
As coisas correm de mal para pior, parece que um manto de azar cobre a minha família desde Setembro passado... Perdas de pessoas próximas, acidentes, mais perdas, mais acidentes, doenças. Há quem se chateie comigo pois tenho a mania de me armar em ser supremo e desdobrar-me para fazer trinta por uma linha para ajudar quem precisa; dizem que me auto-descuro -- e será isso algo negativo?, quando o meu coração simplesmente me implora para não deixar essas mesmas pessoas? Para não dizer não quando me pedem algo, por mais impensável que possa ser? Contudo nem tudo são rosas; sinto-me a sufocar, preciso do meu espaço vital, dum suspiro mais profundo sem um ar intragável.
Sinto que as pessoas que me rodeiam estão sedentas da minha vida, apoiam-se em mim como se eu de uma apoio eterno me tratasse... É pena não verem que eu também tenho as minhas necessidades.

sexta-feira, 17 de março de 2006

Monstros e Monstras

Os jogos online são uma perdição para muita gente, e eu não sou excepção!
Fui arrastada psicologicamente para o MonstersGame e tenho a dizer que é bem aliciante. (O meu url -> Clique para alimentar uma jovem vampira!)


quarta-feira, 8 de março de 2006

Dia Internacional da Mulher.

Porquê o dia 8 de Março

Neste dia, do ano de 1857, as operárias têxteis de uma fábrica de Nova Iorque entraram em greve, ocupando a fábrica, para reivindicarem a redução de um horário de mais de 16 horas por dia para 10 horas. Estas operárias que, nas suas 16 horas, recebiam menos de um terço do salário dos homens, foram fechadas na fábrica onde, entretanto, se declarara um incêndio, e cerca de 130 mulheres morreram queimadas. Em 1910, numa conferência internacional de mulheres realizada na Dinamarca, foi decidido, em homenagem àquelas mulheres, comemorar o 8 de Março como "Dia Internacional da Mulher". De então para cá o movimento a favor da emancipação da mulher tem tomado forma, tanto em Portugal como no resto do mundo.


O que se pretende com a celebração deste dia

Pretende-se chamar a atenção para o papel e a dignidade da mulher e levar a uma tomada de consciência do valor da pessoa, perceber o seu papel na sociedade, contestar e rever preconceitos e limitações que vêm sendo impostos à mulher.



“Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica ou condição social.”

in art. 13º da Constituição da República Portuguesa de 2 de Abril de 1976.



sexta-feira, 3 de março de 2006

Fantasmagoria do dia-a-dia.

Tenho sido frequentemente questionada acerca das minhas qualidades mentais. E agora pergunto-me "Que qualidades mentais?".
Sei que consigo ser um ser perfeitamente normalíssimo em termos sociais, quando assim entendo, mas também tenho a plena consciência que consigo ser visceralmente indesejável – esta última provoca-me alguma sensação de desejo, recalcado ou não ainda não cheguei à conclusão.
De qualquer modo, o que é importante frisar nesta pequena quimera intelectual é o simples facto de hoje em dia serem poucas as pessoas que conseguem manter altos níveis de conversação, ou algum nível de conversação, corrijo-me, sobre que assunto for, isto é, de uma forma generalizada, porque se formos a analisar especificamente todos os pequenos detalhes e aspectos procedentes, nunca mais sairíamos daqui e, quando o fizéssemos, não nos iríamos conseguir manter humanamente apresentáveis devido a tanto e desmesurado júbilo.
Será que a juventude de outrora está confinada a conviver efemeramente com a juventude de hoje de uma forma menos intimista e, até mesmo, apavorada?

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2006

A pornografia dos pobres vem à boleia com o comboio da desmotivação.

Pois é, uma vez mais fui atropelada pelo amplo e possante comboio da desmotivação. Tive um desvairo, adoeci na terça-feira passada (fez ontem uma semana) e a coisa revelou-se ser mais preocupante do que eu alguma vez imaginaria.
Portanto, viro-me para este mundinho para tentar distrair-me, um pouco que seja, pelo menos.
Ah sim! Ainda estou perplexa com o resultado do jogo de ontem; com que então o S.L.B. venceu o Liverpool por uma bola a zero quando leva um pontapé no traseiro do Vitória de Guimarães? Ainda alguém há-de tentar explicar-me isso – há coisas que simplesmente não fazem click na minha cabecinha loira.

E aqui têm algo que é vulgarmente chamado de “A Pornografia dos Pobres”. Podem saber como acedendo ao seguinte link.

domingo, 12 de fevereiro de 2006

Valentine's Day

Golden day for florists, am I correct?

Profitable day for those who live theirs lives telling our brains that we need to buy that item or that pair of shoes because it’s trendy. Yeah, that’s the spirit! Let’s feed up the capitalist pigs that live among us, sucking our funds and drinking our strength of mind.

But on the other hand, I surely understand the commercial point of view, I would do it also, or perhaps better (if you’re a victim of capitalism apply the word worse here).

A year has twelve months and few of them are gainful.
Let’s see, we have January with the New Eve’s, but that almost doesn’t count because people always dream of making new resolutions and in the first two weeks they almost slaughter themselves to keep the financial statement alive; so what is left? February: Valentine’s Day and Carnival; two on a row, what a luck humh, even though February is the shortest month on the year. April stands for Easter, the funny chocolate bunnies and eggs: what a cutie. Let’s go marketable! And the gold medal goes to December with Christmas: that’s the best period to suck the finances of the poor.

I guess I’m on the wrong career… Who wants to open a gift shop with me? :P

domingo, 5 de fevereiro de 2006

Suspiros de outrora

É engraçado como as pessoas conseguem ser terrivelmente egocêntricas. Num dia é tudo sorrisos e abraços e logo em seguida é um total descambar de emoções. É irrisório. O cheiro a falsidade tresanda a decomposição.

E estas querelas e lamentações de minha parte de nada irão adiantar, é somente um escape débil que encontro momentaneamente.

Já nada é como dantes… O ‘antes’, esse por quem todos suspiramos como se da redenção divina se tratasse: é incrível mas verídico.

Enfim, são as lamúrias de uma mente, de uma alma que não encontra conforto na veracidade das coisas.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2006

Já nada é como o antigamente

Ó tempo, volta p'ra trás...!
Cada vez tenho mais a percepção que não estou a ficar mais nova, que o tempo passa por mim a uma velocidade avassaladora... Bolas, como dói!
Hoje em dia nem nas fábulas infantis podemos confiar! Essas, que considerávamos eternas e fiéis companheiras das nossas mesinhas de cabeceira…
Factos:
1)
Shrek, aquele ogre verde comedor de cebola, com os seus amiguinhos como o Pinóquio e afins…;
2)
HoodWinked (http://www.apple.com/trailers/weinstein/hoodwinked/trailer/), novidade com uma versão moderna do Capuchinho Vermelho…
Que difamação! Não tarda dizem-nos que o nosso querido Primeiro Ministro na realidade é um espantalho saído directamente do Feiticeiro de Oz


domingo, 29 de janeiro de 2006

Pompa e Circunstância

Que noite descomunal.
O 'chêro' a mofo era uma constante. Tanto cachecol "naftalinado" por aí; há tanto tempo que não via largatixas a saírem da toca todas inchadas apesar do tempo horrível que se fazia sentir.
Foi bonito. Pena não ter a máquina fotográfica comigo: seria uma recordação para a posteridade!
Bem, que lê isto até pensa: "Que «ganda» dor de cotovelo!", pois mas não batam já palminhas de alegria que levam é a bicicleta sem celim... Enganam-se os que pensam que ligo patavina a coisas desse calibre, mas há que admitir que foi bem hilariante. Os gritos de golo e o tomá lá dá cá, o ouviste Simão, enfim... Sou somente uma mera espectadora que se regozija!

sábado, 28 de janeiro de 2006

Sábado de manhã

Manhã de Sábado... E o relógio ainda não soou as nove horas.
É uma manhã fria, como tantas outras. O café, esse meu fiel aliado, aquece-me o espírito enquanto sustento o cérebro com as perturbantes notícias que flutuam no jornal. É esse o meu dia-a-dia.
Contudo, nem tudo é mau. Os meus laços familiares aumentaram. Neste momento sou a Mamã orgulhosa de uma tartaruga doméstica de barriga amarela (nelsonis), e é um docinho aquela criatura! Baptizei-o de Charles (Charlie para os amigos!) e estou à espera duma companheira, a futura Miss Marilyn.



terça-feira, 24 de janeiro de 2006

A 'dolorosa'

Pois é, passado uns meses é tempo da dolorosa se fazer sentir... A afamada época de exames que, alguns de nós, tanto ansiamos ou detestamos... Nove frequências para acalmar o grelo do pessoal, upa upa!
Mas falando doutros assuntos...! A semana é gerida somente por um acontecimento, as eleições do passado Domingo, dia 22 de Janeiro de 2006. Ao que parece aquilo que era mais previsto acontecer, bem, realmente aconteceu, por mais incrível que isso possa parecer. *not* Parabéns ao Prof. Aníbal Cavaco Silva por ter conseguido comer a cereja do bolo... Agora só espero que ele não se engasgue com o caroço da mesma!






quinta-feira, 12 de janeiro de 2006

O Estado é o Maior!

Ai como é doloroso viver em Portugal... Ou então, muito simplesmente, devo estar no ramo errado. Quando me deparo com o facto de ter o depósito do carro praticamente vazio fico terrívelmente chateada por viver nos arredores da capital... Ai como gostava de viver perto de Badajoz! Aqueles espanhóis por vezes até têm coisas boas, sejam os caramelos ou o combustível. Quando me recordo que por cada euro (eu já nem arredondo para o preço corrente da gasolina...) gasto por nós, pobres automobilistas em gasolina, mais de 70 cêntimos revertem para os cofres do Estado... Ora bolas! Enfim, divagações e somente isso, pois disso nunca passarão. É o país em que vivemos... Há quem se lamente, há quem conduza um Porsche...